Suco de Casca de Melão

Bom dia meus amigos.

Faz algum tempo que não escrevo por aqui.

Hoje de manhã, enquanto cortava e limpava um melão para minha esposa levar para o trabalho, percebi o desperdício com toda a casca que sobrou. Decidi fazer uma rápida pesquisa no Google e encontrei várias receitas para reaproveitar a casca do melão.

Uma das que eu mais gostei foi do suco.

Lógico que usei as receitas encontradas como um ponto de partida para desenvolver a minha própria.

Suco de Melao 2

 

Ingredientes:

Casca de 1 melão maduro.

Água, o quanto bastante (por volta de 1l.).

Gengibre, um pedaço pequeno, pois era o que eu tinha.

Açúcar, o quanto bastante.

 

Como fazer:

Após lavar a casca e cortar a poupa, cortei a casca em pedaços menores, descasquei o gengibre e foi tudo para o liquidificador, bati por 1 ou 2 minutos, até que não pudesse mais ver pedaços girando no liquido.

Usei um coador grande, porém com a malha fina, para coar o conteúdo do liquidificador.

Completei a jarra com mais água e botei o açúcar somente no final.

Está pronto, agora só precisa beber!

 

O suco fica bem gostoso, mais parecido com um refresco do que um suco, mas muito bom!

Se você tem mais alguma ideia para reaproveitarmos as cascas, por favor, deixe um comentário.

 

Grande abraço!

Anúncios
Galeria

O mundo pelos meus olhos

Essas fotos foram feitas usando exclusivamente o meu telefone porém, com um olhar especial.

 

Não espere por uma crise para descobrir o que é importante em sua vida.

– Platão

O Melhor Bolo de Chocolate Vegan

Como o título diz, O Melhor Bolo de Chocolate Vegan, não podia ser mais fácil também.

Descobri essa receita a alguns anos, mas só hoje reparei que nunca tinha compartilhado. Sempre que preparo esse bolo, a patroa adora!

Se você quiser a receita original em inglês, clique aqui – VegWeb

Ingredientes:

– 6 col. sopa de chocolate (ou Nescau)
– 3 xic. de farinha de trigo
– 2 xic. de açúcar (cuidado pois Nescau já tem açúcar)
– 2 col. chá de fermento
– 2 col. chá de sal
– 2 col. sopa de vinagre (pode parecer estranho, mas mete bronca)
– 1/3 xic. de óleo (cortei pela metade a quantidade original)
– 2 col chá de baunilha (com canela em pó fica muito bom)
– 2 xic. de água

Como fazer:

Comece pré aquecendo o forno a 180º C.

Sigo a ordem dos ingredientes, primeiro os secos, depois os molhados, misture tudo em um pote grande. Gosto de provar a massa quando está tudo misturado, essa é a hora para corrigir qualquer coisa, um pouco mais de sal? Um pouco mais de açúcar?

Prepare um tabuleiro ou forma, untando com um pouco de óleo e espalhando um pouquinho de farinha, vire a massa (que vai parecer líquida demais) no tabuleiro e coloque no forno pré aquecido por uns 30 ou 40 minutos. Ao invés de ir por tempo, eu aprendi que em breve o bolo começa a cheirar como biscoito, essa é a hora que eu espeto com um palitinho para ver se está pronto.

Observações:

Se você usar Nescau, cuidado pois já tem açúcar. Quando uso, eu diminuo a quantidade de açúcar para 1 xic. e 1/2 e provo a massa antes de ir para o forno, se for preciso, adicione mais um pouco de açúcar e misture novamente.

A receita original pede por 2/3 xic. de óleo, eu cortei pela metade, ou seja 1/3 xic. de óleo.

A baunilha pode ser substituída por canela em pó ou até menta.

Algumas vezes eu preparei uma calda de chocolate simples, a receita não é exata, é mais ou menos 1 xic. de leite de soja, 3 ou 4 col. sopa de Nescau e 1 col de sopa de farinha de trigo, mexer até dar o ponto desejado e virar no bolo.

Esse bolo pode ser feito em qualquer tipo de forma, mas sempre faço em um tabuleiro, porque é o que eu tenho.

Pode ser recheado ou ainda usar a calda que você quiser.

A foto do bolo foi usada descaradamente e sem permissão, mas foi encontrada em http://pixelatedcrumb.com/2011/09/26/the-easiest-chocolate-cake-recipe-in-the-world/ é uma receita parecida e deve ser muito gostosa também. Assim que puder, substituo por fotos minhas.

 

A receita original encontra-se em: http://www.vegweb.com/recipes/best-vegan-chocolate-cake-ever

Vídeo

How it’s Made – Como é feito

Não sou de ficar horas na frente da TV, tirando alguns programas interessantes que sempre vão ao ar nas piores horas, por sorte, as vezes consigo ver alguns desses programas. O programa How it’s Made (O Segredo das Coisas) é um desses que sempre me interesso. O programa foi criado por Gabriel Hoss, produzido no Canadá e transmitido pelo Discovery Channel.

A pouco descobri no YouTube um programa da temporada 21, que foi ao ar em 2013, sendo mais exato, o episódio 262. Um dos quadros do programa mostra como as câmaras de ar são feitas.

Se você anda de bicicleta, moto, praticamente qualquer outro veículo, você já usou uma dessas. Esse programa é curioso justamente por explicar como coisas que usamos diariamente são feitas, mas são as coisas que não pensamos e nem se quer damos muita atenção até falhar quando precisamos.

Vejam abaixo o episódio 262 do How it’s Made, o segmento da câmara de ar:

 

O Segredo das Coisas – Página na Wikipedia

How it’s Made no YouTube

Vídeo

Adam Purple e o Jardim do Éden

Um filme de Harvey Wang e Amy Brost

 

Em 1975, Adam Purple criou uma horta em uma área perigosa de Nova York. Em 1986, o Jardim do Éden já era mundialmente famoso e já havia crescido para mais de 4.500 metros quadrados.

Para Adam, um ativista social, filósofo, artista e revolucionário, o Jardim era uma forma de expressão política e artística.

O Jardim foi destruído pela prefeitura em 1986, após uma briga jurídica. Esse filme documenta a criação desse trabalho artístico e sua destruição.

Adam Purple cultivando sua horta. – Foto: Stephen Barker

 

Site de Harvey Wang

Blog – Harvey Wang

Adam Purple – Wikipedia

Animais peçonhentos e a corrida

Escrevi esse post para o Corrimundo, mas meu amigo André Caúla foi mais rápido no gatilho e escreveu um post caprichado sobre o mesmo assunto, por isso publico o meu post aqui no meu blog!

Quem não gosta de estar em contato com a natureza? Nós certamente gostamos, já que escolhemos a corrida em trilha como nosso esporte.

Mas quem anda no meio do mato sabe que precisa tomar certos cuidados que nossos amigos do asfalto jamais pensariam. Um grande problema para nós seriam os animais venenosos como cobras, aranhas, escorpiões e etc, além do fato de normalmente estarmos longe de hospitais quando corremos em trilhas.

Cobra Coral

Cobra Coral

Sendo um cara que sempre preza pela segurança do nosso grupo, eu estou escrevendo esse post para clarear um pouco o que fazer em caso de mordida de um animal peçonhento.

Quero alertar que as chances de ser mordido por um bicho venenoso durante uma corrida são muito baixas, normalmente os animais conseguem perceber a presença dos corredores muito antes dos corredores chegarem perto deles. Caso uma cobra esteja no meio da trilha, será pouco provável ela morder, já que não está te esperando, não vai estar pronta para o bote, ela vai tomar um grande susto também. Mas acidentes acontecem.

Mesmo sendo mordido, uma cobra pode injetar pouco veneno ou não injetar veneno nenhum, sendo uma mordida de alerta. A cobra sabe que não somos uma presa e seu veneno é valioso para elas.

Um animal só ataca quando se sente acuado. Portanto se for possível, dê espaço ao animal, não o encurrale e nunca o provoque com galhos ou pedras. Garanto que uma cobra tem muito mais medo da gente do que a gente dela.

Picadas de Cobras:

Cobras venenosas podem ser achadas em todos os continentes, menos na Antártica.

São animais que vivem embaixo de troncos, folhas secas, dentro de troncos, embaixo de pedras e até na copa de árvores, lugares onde podem encontrar suas presas. São animais de sangue frio, portanto precisam se aquecer no sol durante o dia e geralmente caçam a noite.

A maioria das espécies de cobras não são venenosas, essas matam suas presas por constrição.

No Brasil nós temos 61 espécies de cobras peçonhentas de acordo com esse artigo da Wikipedia, dentre essas apenas a Urutu, Jararaca, Jararacuçu, Surucucu e a Coral são encontradas no Rio de Janeiro.

Jararaca

Jararaca

Caso seu encontro com uma cobra ocorra em uma mordida siga os passos abaixo:

1- Proteja a pessoa mordida para que outras mordidas não ocorram. A identificação da espécie de cobra é desejável, mas arriscar levar mais mordidas ou atrasar o tratamento médico ao tentar capturar ou matar a cobra pode trazer conseqüências muito piores.

2- Lavar o local da picada com água e sabão.

3- Mantenha a pessoa calma e em repouso. Se a mordida for no braço ou perna, essas extremidades devem ficar elevadas, mas abaixo do nível do coração, para minimizar o retorno do sangue para o coração e outros órgãos. A reação aguda ao estresse ou estado de choque aceleram os batimentos cardíacos, agitação motora, emoções exacerbadas além de outros sintomas.

4- Levar o acidentado imediatamente ao polo de atendimento mais próximo. É importante que o tratamento seja rápido e realizado por profissionais de saúde qualificados, em unidades de atendimento médico especializadas.

5- Retirar anéis, pulseiras, relógios ou outros adereços apertados, o local da mordida pode inchar.

Jararacuçu

Jararacuçu

O procedimento de primeiros socorros é praticamente o mesmo para qualquer mordida de cobra venenosa. Infelizmente não podemos fazer muita coisa enquanto estamos no meio de lugar nenhum, o melhor que podemos fazer é manter a calma e levar a pessoa mordida para socorro médico o mais rápido possível.

Caso esteja sozinho, siga os procedimentos acima, mantenha a calma e se não for possível conseguir ajuda, siga andando calmamente até um lugar onde possa conseguir ajuda.

O que NÃO fazer em caso de mordida (do site do Instituto Vital Brasil):

1- Não amarrar ou fazer torniquetes ou garrotes. O garrote impede a circulação do sangue, o que piora a situação.

2- Não colocar folhas, pó de café, fezes ou quaisquer outras substâncias no local da picada, pois podem provocar infecção.

3- Não fazer cortes no local da picada, pois, somados aos efeitos do veneno, podem induzir hemorragias e infecções.

4- Não ingerir bebida alcoólica.

5- Não mate a cobra, elas tem seu lugar na natureza.

Existem outras “curas milagrosas” que NÃO devem ser feitas, como colocar gelo, tentar sugar o veneno e etc.

Surucucu

Surucucu

 

Picadas de Aranhas:

As aranhas são animais artrópodes, geralmente confundidos com insetos. Existem cerca de 40.000 espécies de aranhas no mundo. Mas no Brasil só temos três que são realmente perigosas para o homem.

Essas são:

Viúva Negra

Viúva Negra

Viúva-negra – Aranha pequena e bem tímida costuma ficar em ambientes escuros e frescos e vivem em sua teia. São mais encontradas em regiões de restinga. Portanto a chance de encontrarmos uma durante uma corrida em trilhas é bem baixa.

Armadeira

Armadeira

Armadeira – Não vivem em teias, costumam se esconder em buracos no chão, embaixo de madeira e pedras, entre folhas largas como folhas de bananeiras. Acidentes normalmente ocorrem no início da noite ou nas primeiras horas da manhã. São aranhas agressivas quando perturbadas, podendo picar varias vezes. Tem hábitos noturnos.

Aranha Marrom

Aranha Marrom

Aranha Marrom – Não passando de 4 cm de envergadura, a aranha marrom vive em ambientes escuros e secos onde tecem suas teias. Sob cascas de arvores, debaixo de pedras e dentro de grutas. São de hábitos noturnos.

Caranguejeira

Caranguejeira

Tarântulas e Caranguejeiras – Apesar do tamanho e aspecto sinistro, essas aranhas não são perigosas para o homem. Também são noturnas.

A maioria dos acidentes com aranhas acontecem quando elas se escondem no meio das roupas ou dentro dos sapatos, elas picam ao serem comprimidas contra o corpo.

 

Picadas de Escorpiões:

Os escorpiões são animais de hábitos noturnos, vivem em lugares escuros e úmidos, como troncos, embaixo de pedras e etc. No Rio, uma das espécies que encontramos é o escorpião amarelo, que é considerado o mais venenoso da América do Sul.

Escorpião

Escorpião

Quando perturbados, eles picam com facilidade, causando muita dor e podendo provocar a morte em crianças e pessoas debilitadas. Qualquer acidente com escorpião deve ser avaliado por um médico.

Mas não apresentam muito perigo aos corredores de trilha. Já que não temos o habito de ir correndo de tronco em tronco enfiando a mão em todo o buraco ou embaixo de pedras… certo?

 

Picada de Lacraia (Centopéia):

A Lacraia é um animal de hábitos noturnos, como algumas aranhas e escorpiões, vivem em lugares escuros como buracos no chão, embaixo de troncos e pedras.

Seu veneno não é muito pouco tóxico ao homem. Em acidentes com lacraias ocorrem dor forte e inchaço no local da picada.

Lacraia

Lacraia

 

Conclusão:

Como vimos, os animais peçonhentos listados normalmente tem hábitos noturnos, gostam de lugares úmido e quentes. Tenham atenção com troncos no meio da trilha, pedras e montes de folhas.

O maior perigo para nós corredores são as cobras, mas se lembramos que aquele é o ambiente natural delas e mantivermos o respeito, não teremos problemas.

Se sacudirmos nossas roupas e batermos nossos tênis antes de nos vestir, não teremos problemas com os aracnídeos.

Nenhum desses animais está à espreita do próximo corredor.

Se nós não perturbarmos os animais, conseguiremos seguir nossas corridas com nada mais do que um susto e alguns batimentos cardíacos a cima do normal.

Como escrevi anteriormente, caso ocorra um acidente, não mate o animal, pois também é uma vida e ele tem seu lugar na natureza.

Links importantes:

Rede de polos de atendimento – http://www.ivb.rj.gov.br/polos.html

Instituto Butantan – http://www.butantan.gov.br/primeiros_socorros.php

Referências:

http://www.vitalbrazil.rj.gov.br/primeiros_socorros.html

http://www.vitalbrazil.rj.gov.br/cobras_venenosas.html

http://www.vitalbrazil.rj.gov.br/aranhas.html

http://www.vitalbrazil.rj.gov.br/escorpioes.html

http://www.vitalbrazil.rj.gov.br/lacraias.html

http://www.butantan.gov.br/primeiros_socorros.php

http://en.wikipedia.org/wiki/Snakebite

http://pt.wikipedia.org/wiki/Serpente

http://pt.wikipedia.org/wiki/Anexo:Lista_de_cobras_pe%C3%A7onhentas_do_Brasil

http://pt.wikipedia.org/wiki/Rea%C3%A7%C3%A3o_aguda_ao_estresse

http://www.cobrasbrasileiras.com.br/

http://www.abc.med.br/p/299395/picada+de+cobra+e+agora+o+que+fazer.htm

http://www.runnersworld.com/trail-running-training/snakes

http://blog.runningwarehouse.com/running-sport/runner-vs-nature-how-to-deal-with-snakes-while-running/