Minha vida corrida

Minha vida corrida…

Bom, tudo começou no final de Agosto de 2008. Eu me vi trabalhando em frente a um computador durante 10h por dia, sem horário de almoço, pelo menos, eu já tinha me tornado Vegano.

Eu decidi que tinha que fazer algum exercício, comecei na academia, fazendo musculação, por estímulos do pessoal do trabalho, tentei fazer uma coisa que eu nunca tinha feito na minha vida, tirando uma ocasião de vida ou morte… decidi correr…

Já estava indo a academia por umas duas semanas, a primeira vez que subi na esteira na academia, quase cai, mas logo me entendi com a ajuda do apoio da esteira, quem diria que uma pessoa precisa aprender a “andar/correr” novamente para poder usar uma esteira?

Corri por uns 15 minutos, uma façanha inédita na minha vida sedentária. Uma coisa incrível aconteceu comigo, tirando que eu quase caí de novo quando eu desci da esteira, pois estava completamente perdido por ter corrido naquele negócio, eu estava me sentindo como nunca tinha me sentido na minha vida, estava me sentindo muito bem, com o corpo pedindo mais, acho que foi aí que a danada da corrida me mordeu.

Treinei duro por 1 mês inteiro! Corri minha primeira “prova”. Foi uma prova de 6 km na Praia de Copacabana com uns amigos do trabalho, Eu estava com medo de não conseguir completar, já que o meu treino mais longo haviam sido míseros 5 km! Como eu iria completar 6 km??? Correndo… é claro! E por sinal, corri muito bem, no final estava me sentindo muito bem, como sempre.

Depois participei de mais uma prova de 5 km, mas estava insatisfeito… Precisava de um desafio maior.

“Preciso encarar os temidos 10 km!” Tomei a decisão.

Comecei a treinar pesado, correndo e malhando, correndo e malhando. Corri minha primeira prova de 10 km em uma das provas do Circuito das Estações Adidas Etapa Verão em 2008. Fiquei orgulhoso de mim mesmo, fui o único do grupo do trabalho a correr os 10 km, fiz essa façanha em 1:02:30.

Acabei correndo mais algumas provas de 10 km e revezamento com o pessoal do trabalho. Antes mesmo de minha nova vida como “corredor” fazer 1 ano, eu já estava inquieto novamente, 10 km já não era um desafio tão grande assim. Então me inscrevi na prova de 10 Milhas da Mizuno. O percurso foi em um circuito fechado de 5 milhas ou 8 km, a primeira volto eu fui muito bem, na segunda eu comecei a me sentir um pouco cansado, acabei correndo a primeira volta um pouco mais forte do que a segunda volta, mas completei a corrida em 1:38:59 em um dia bem quente no Aterro do Flamengo.

Quando comecei a gostar, percebi que provas mais longas do que 10 km são um pouco menos freqüentes, mas me animei com a corrida e me inscrevi na minha primeira meia maratona. Comecei os treinamentos, até então sozinho, com “ajuda” de sites e planilhas de revistas, fui em frente. A essa altura minha esposa já havia se animado com a corrida também, ela tinha virado minha companheira de corridas e acabei inscrevendo ela junto na Meia.

Treinamos duro mais uma vez, mas infelizmente, 2 meses antes da prova, eu precisei passar por uma operação, descobri que eu tinha uma pedra bem grande na vesícula. Uma coisa estranha já que eu era Vegano há uns 4 anos. A operação foi perfeita, minha vesícula não estava inflamada e eu pude guardar minha pedra, mas meus treinamentos seriam arruinados, eu precisei ficar 1 mês de molho, sem fazer nenhum exercício, nas primeiras semanas eu mal conseguia levantar da cama sozinho. Minha mulher cuidou de mim e não me deixou desanimar com a situação, afinal de contas eu teria 1 mês antes da prova para tentar recuperar qualquer condicionamento físico que restara.

Treinei o máximo que eu pude, intervalados, longos e treinos mais leves, então a data chegou. No dia 6 de Setembro de 2009, eu e minha querida companheira de corridas acordamos às 5 horas, tomamos nosso café da manhã e pegamos um ônibus para a largada na Praia de São Conrado, lá encontramos com alguns amigos novos e antigos, todos com o mesmo objetivo, completar os 21,097 km de corrida!

A corrida foi muito dura, eu senti a falta do treinamento, quando cheguei à Praia de Botafogo, meu tanque já estava no suspiro, fui trotando/andando até o final, a pior parte foi passar pela pista oposta da linha de chegada e ver todos comemorando sabendo que eu ainda teria alguns Kms pela frente. Terminei essa corrida em 2:36:28, fiquei em 7.963º lugar no geral e 1.239º na faixa etária. Havia sido uma experiência horripilante, mas mesmo assim, eu queria fazer melhor.

Comecei a pensar no próximo desafio, continuei correndo sem compromissos, corri a Nike Human Race que são só 10 km, mas o percurso passa por partes do percurso da Meia Maratona, largamos no final da Barra da Tijuca e corremos até o Jardim de Alah, foi uma boa prova, um dia bem quente, essa prova me ajudou a recuperar as confianças em mim mesmo depois da derrota na Meia Maratona, não foi meu melhor tempo nos 10 km, mas fiz a prova em 1:03:32. Poderia ter feito um tempo melhor se não fosse pelo bolo de gente na largada e na subida da Avenida Niemeyer, no geral, foi uma boa prova.

No final de 2009, comecei a treinar ciclismo em paralelo com a corrida por influência de uma amiga (MeTA Treinamento). Continuei com as provas ocasionais de corrida de 10 km para ganhar as camisas e quando entramos em 2010, resolvi me inscrever na Maratona Caixa da Cidade do Rio de Janeiro 2010, é claro que a minha mulher foi na roubada junto comigo! 🙂

Procuramos por um treinamento que nos faria atingir nossos objetivos. Depois de muita pesquisa, decidi que deveríamos seguir o treinamento sugerido por Dean Karnazes em seu livro 50 Maratonas em 50 Dias. Começamos muito bem, praticamente do início do treinamento, já que o próprio Karnazes insiste que você inicie o treinamento a partir da semana em que o treino mais longo for a mesma distancia do seu ultimo treino mais longo.

Na metade do caminho, nós demos uma desanimada… o treinamento para uma maratona é longo, muito longo. Eu comecei a treinar com o pessoal do Walter Tuche Assessoria Esportiva, acabei deixando de lado o treino do Karnazes. Meus treinamentos se intensificaram bastante em quantidade e freqüência, meu estímulo ainda não estava 100%, acabei perdendo um dos treinos mais importantes, o mais longo dos longos…

Depois de mais de 6 meses de treino, o grande dia havia chegado…

Mas isso fica para outro post!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s