Vídeo

How it’s Made – Como é feito

Não sou de ficar horas na frente da TV, tirando alguns programas interessantes que sempre vão ao ar nas piores horas, por sorte, as vezes consigo ver alguns desses programas. O programa How it’s Made (O Segredo das Coisas) é um desses que sempre me interesso. O programa foi criado por Gabriel Hoss, produzido no Canadá e transmitido pelo Discovery Channel.

A pouco descobri no YouTube um programa da temporada 21, que foi ao ar em 2013, sendo mais exato, o episódio 262. Um dos quadros do programa mostra como as câmaras de ar são feitas.

Se você anda de bicicleta, moto, praticamente qualquer outro veículo, você já usou uma dessas. Esse programa é curioso justamente por explicar como coisas que usamos diariamente são feitas, mas são as coisas que não pensamos e nem se quer damos muita atenção até falhar quando precisamos.

Vejam abaixo o episódio 262 do How it’s Made, o segmento da câmara de ar:

 

O Segredo das Coisas – Página na Wikipedia

How it’s Made no YouTube

Anúncios

Treino Intervalado – Garmin Connect

Aviso: Esse é um dos grandes, você vai precisar de um tempo para ler e entender esse post. Mas depois disso tudo, você estará um passo mais próximo de se tornar iluminado!

Vários amigos me fazem perguntas sobre o funcionamento dos relógios da Garmin.

Em nosso grupo de treino, várias pessoas tem esse brinquedinho, mas infelizmente, a maioria não sabe usar nem metade do que o relógio oferece como uma ferramenta de treino.

Hoje vou mostrar passo a passo como montarmos um treino intervalado. Não importa a complexidade do seu treino, com esse post, mostro a vocês como preparar qualquer treino no site da Garmin.

Garmin ANT Agent

Garmin ANT Agent

Antes de começarmos, tenha certeza de que o Garmin ANT Agent está instalado. É aquele ícone do “Mickey” cinza na barra, perto do relógio.

Frequentemente nosso treinador nos passa algum treino intervalado. Hoje eu inventei o treino abaixo como um exemplo.

 

Treino Intervalado:

  • 5 min de aquecimento
  • 4x 500m @ 5:20 / 200m trote
  • 2km @ 5:30
  • 4x 300m @ 5:10 / 200m trote
  • Cool down (essa parte é só para marcar o final do treino, para que o relógio marque até a hora que eu parar de correr)

 

Lembrar disso tudo durante a corrida é meio complicado, ainda mais quando está faltando oxigênio para o cérebro funcionar corretamente! 😉

 

Ok, vamos começar. Abra seu navegador preferido, e vá para o endereço: http://connect.garmin.com/dashboard

Se você não tem login, então crie um clicando em “Sign In”, depois em “Don’t have an account? Create One”. Caso contrário, o site te fará baixar o ANT Agent novo (que é uma porcaria, o programa antigo e que funciona melhor).

Com a sua conta criada, vamos ao nosso treino intervalado.

Passe o mouse por cima de Plan e clique em Workouts. Isso nos levará para a página aonde montaremos nosso treino:

Garmin Connect

Garmin Connect

 

Essa tela é bem mastigada, mas mesmo assim, vou explicar cada campo, para ficar mais fácil ainda:

No campo “Untitled”, colocaremos um nome para nosso treino.

Workout Type, escolheremos o Running, mas podemos criar um intervalado para bicicleta, natação ou outros.

Clique em “Add Step” para criarmos o primeiro passo no nosso treino:

Workout 0

Aqui nós temos todas as opções de combinações que podem ser montadas. Temos muitas opções, podemos montar treinos simples até treinos muito complexos, só depende do seu objetivo.

Workout 1

Vamos criar um “Warm Up”, já que a nosso treino começa com um aquecimento de 5min.

No campo “Duration”, selecionei “Time” e digitei 5:00 (5 minutos e 0 segundos).

Em “Target”, deixei sem objetivo, já que é um aquecimento, não vamos nos matar ainda, ne?

Quando terminar de montar cada passo, não esqueça de clicar em “Done”.

Workout 2

Agora vamos adicionar a parte do intervalado.

Clique em “Add Repeat”, escolha a quantidade de vezes que o intervalado será repetido. No nosso caso 4 vezes.

Não esqueça do “Done”!

Agora clique em “Add a step”, dentro do nosso intervalado.

Workout 3

Workout 4

Clique no lápis amarelinho do lado direito, esse é o nosso botão de editar o passo.

Nessa parte, escolheremos o tipo “Interval”.

Selecione “Distance” e complete a distancia do intervalo, 500m ou 0,5km.

No campo “Target” selecione “Pace” e complete a velocidade.

O GPS é uma ferramenta militar. O sinal de GPS disponibilizado para o público geral, ou melhor para os civis, tem uma variação de alguns metros, portanto não é exato. Gosto de deixar um intervalo de 0:10 min/km, além do erro do GPS, é difícil manter exatamente a mesma velocidade durante um tiro.

Nossa velocidade no treino é 5:20 min/km, portanto eu digitei o “Pace” entre 5:15 e 5:25. Se seu relógio falar que você está dentro da zona desejada, está perfeito! Terminou? “Done”!

Workout 5

Agora vamos à recuperação do tiro.

Essa parte não tem muito o que cutucar. Adicione um “Step” novo.

Repare que esse novo passo estará fora do nosso quadrinho de intervalado. Nós vamos ter que movê-lo para dentro do intervalado mais tarde.

Selecione “Recovery”, a distância ou tempo e termine com o “Done”.

Workout 6

Agora vem a parte meio chata que é mover a nossa Recuperação para dentro do intervalado. O site facilita em muita coisa, mas precisa de um pouco de malandragem para achar o lugar certinho.

Clique e segure o mouse nas listrinhas do lado esquerdo, arraste para dentro do nosso intervalado e solte.

Workout 7

Maravilha!! Já temos um treino intervalado bem básico montado!

Mas vamos continuar montando o treino sugerido.

O próximo passo é uma corrida contínua de 2km @ 5:30 (entre 5:25 e 5:35).

Adicione outro “Step”.

Selecionei “Interval”, “Distance” e “Pace”.

Esse passo não será repetido, portanto ele deve ficar fora do campo do intervalado. “Done”.

Workout 8

Agora vamos ao segundo tiro do treino!

Clique em “Add Repeat”, podemos adicionar quantos passos ou repetições forem necessárias!

Seguiremos os mesmos passos do primeiro tiro.

Escolha a quantidade de vezes que o intervalado será repetido, no nosso caso serão 4x 300m @ 5:10 (entre 5:05 e 5:15) com 200m de trote ou recuperação.

Adiantei-me e criei um último passo que será o “Cool Down”, sem características específicas.  É só um trote para terminar o treino.

Gosto de fazer isso para que o relógio continue gravando o treino até eu parar de correr. Já que o treino pode parar a alguns metros do lugar inicial. O que você vai fazer? Parar e ir andando? Eu continuo trotando até chegar no final.

“Done”.

Ainda tem um campo onde podemos adicionar alguma nota ao treino. Acredito que essa anotação não passará para o relógio, deve ser só para o site mesmo.

Workout 9

Caso tenha criado um passo a mais ou um passo errado, podemos editar clicando no lápis amarelo ou deletá-lo clicando no “Xzinho” vermelho do lado direito do campo.

Nosso treino está muito bonito e colorido. Mas como passamos esse negócio para o relógio?

Primeiro clique em “Save”.

Depois em “Send to Device”.

Workout 010

Aqui em casa somos dois corredores, a Patroa e eu, cada um tem seu relógio, portanto selecione o relógio desejado.

Workout 011

Beleza!

Treino enviado com sucesso!

Workout 012

Agora sim, aonde foi parar aquele relógio laranja feio?

Tá na hora de ligá-lo, já que o treino foi enviado do navegador para o Garmin ANT Agent, ou melhor para o “Mickey”.

Em poucos segundos o computador deveria se comunicar com o relógio e passar o treino. Esse processo é bem mais rápido do que passar o treino para o Garmin Connect.

Garmin ANT Agent 2

Quando passar, deverá aparecer a mensagem abaixo:

Garmin ANT Agent 3

Agora sim!

Terminamos!

Vai lá correr!!

Para selecionar nosso treino bonito no seu Garmin mais bonito ainda, basta entrar no Menu, selecione Training – Workouts – Custom, nosso treino “Intervalado” vai aparecer nessa telinha, selecione-o e aperte o botão “Enter” no seu relógio, “Do Workout”.

Aperte o botão “Start” para iniciar seu treino!

Bom treino intervalado!

 

Downloads:

Garmin ANT Agent para Windows – http://www8.garmin.com/support/download_details.jsp?id=3741

Garmin ANT Agent para Mac – http://www8.garmin.com/support/download_details.jsp?id=4417

 

Equipamentos

Image

Frio!

Como todo bom observador, eu observei e ouvi muito durante nossos treinos com amigos mais experientes.

Peguei muitas dicas de equipamentos, o que levar e o que não levar. Principalmente o que fazer e o que não fazer durante uma corrida tão longa e única como o El Cruce de Los Andes.

Escolhi muito bem nossos equipamentos, pesquisei bastante. Rapidamente percebemos que se quisermos gastar dinheiro fica bem fácil, tem equipamento para tudo que podemos imaginar e mais alguma coisa.

Mas meu objetivo para o Alface Team é sempre levar o melhor equipamento possível, sempre se mantendo dentro do nosso orçamento.

Aquela frase: “You get what you paid for” sempre me vem na cabeça, traduzindo mais ou menos isso aí, fica “você leva o que você pagou”. Resumindo, equipamentos bons, são caros.

Por tanto, eu tive que escolher a dedo, aonde gastariamos nosso dinheiro.

Alguns equipamentos se sobressaíram durante essa prova. Eu vou listar o que eu achei mais relevante para a nossa aventura.

Tudo que foi na mala

Tudo que foi na mala

Lista de Equipamentos:

1. Ultimate Direction PB Adventure Vest

Ultimate Direction PB Adventure Vest

Ultimate Direction PB Adventure Vest

Começando pela minha mochila, ou melhor, Vest. Escolhi o modelo da Ultimate Direction do Peter Bakwin, PB Adventure Vest é o maior modelo desta linha oferecido pela empresa. (A minha é o modelo anterior, o modelo novo é azul)

Essa mochila tem a capacidade de 12 litros, com duas garrafas de 591ml na parte da frente e lugar para botar um reservatório de água dentro da mochila.

Com as duas garrafas, ela pesa menos de 500 gramas.

Tem um monte de bolsos para comida, chaves, telefone celular, manguitos, luvas e tudo mais que precisarmos durante nossa corrida.

Essa mochila foi um dos equipamentos mais importantes que comprei, permite que eu treine e participe das provas de forma segura, carregando todos equipamentos mandatórios que as provas possam pedir. O mais importante é que essa mochila é imperceptível, mesmo com o máximo de carga. Ela veste como uma camisa! Quanto mais cheia, melhor ela se comporta.

2. Bastões Forclaz 500 Light

Bastão Forclaz 500 Light

Bastão Forclaz 500 Light

Esses bastões nos foram emprestados por duas grandes amigas, que infelizmente não puderam participar da prova conosco. Obrigado Priscila e Andréa!

Optamos levar apenas 1 par para o El Cruce. Que foram usados pela minha mulher.

Foi muito útil no primeiro dia, tivemos uma subida longa, com alguns pedaços bem inclinados. Minha esposa usou a subida toda, guardamos na minha mochila quando chegamos a parte mais alta do dia, dali para a frente só tivemos praticamente descidas.

Foi muito difícil fechar os bastões na parte mais alta da montanha, as mãos estavam congeladas e não funcionavam direito. Não conseguíamos desatarraxar os bastões para guardá-los na minha mochila.

Escolhemos não usar mais os bastões nos outros dias, o processo de guardar e pegar novamente estava meio complicado, decidimos abrir mão deles a partir do segundo dia.

Objetos muito úteis, mas precisa de cuidado, vimos muitas pessoas furando os outros durante as trilhas single track.

3. Trekmates® Mens DRY™ Atlas

Trekmates® Mens DRY™ Atlas

Trekmates® Mens DRY™ Atlas

Encontramos essas polainas Trekmates em uma loja chamada Paralelo 41, em Puerto Varas, no Chile.

Foi uma compra muito boa. Essas polainas impedem que os tênis se encham de areia, pedras ou lama.

Essa foto são das polainas da minha esposa, os elásticos arrebentaram nas minhas devido ao meu tênis ter a sola reta. Essa é a minha única reclamação, os elásticos poderiam ser mais fortes.

Equipamento fundamental se você não quer parar para tirar pedras dos tênis.

4. Cameras

Gopro e Nikon

Gopro e Nikon

O que é uma aventura sem fotos? Todos gostamos de documentar nossas viagens.

Levamos uma camera point and shoot simples que temos. Uma Nikon Coolpix L4, antiga mas guerreira.

Compramos uma Gopro Hero 3 Black Edition para poder filmar essa prova. Sabendo que a Gopro é uma camera faminta por baterias, levei 2 baterias extras.

Recarreguei todas as baterias na noite anterior a corrida e botei pilhas novas em tudo que leva pilha.

Usamos todos os dias a Gopro e poucas vezes a Nikon.

5. Luvas

Luvas

Luvas

Equipamentos fundamentais em provas de frio!

Usamos as luvas em todos os dias! No segundo dia, esquentou, usamos as luvas somente na largada.

No primeiro dia, largamos com as Luvas X-Thermo Silver da Solo.

Essas luvas seriam mais úteis se não tivessemos pegado tanta chuva e frio, apesar de encharcadas foi muito melhor estar com elas do que estar sem luvas.

A organização estava esperando frio para esse ano, fomos avisados varias vezes para nos protegermos do frio.

Com isso em mente, escolhi comprar luvas mais pesadas, que aguentem frio mesmo.

Na mesma loja que compramos as polainas, Paralelo 41, comprei 2 pares de luvas da Trekmates Carbon GTX Glove com Gore-Tex. Foram fundamentais no terceiro dia, que pegamos muito frio! O link vai para o modelo feminino, o que está na foto.

6. Garmin Forerunner 310 XT

Garmin

Garmin

O que dizer desse relógio, tirando que é feio pra caramba, ele funciona que é uma maravilha, já temos a alguns anos e não tenho muito o que reclamar.

Fundamental para a prova, mede distancia, velocidade, batimentos cardíacos e tudo mais que podemos imaginar. Muito importante para marcar o tempo de alimentação.

7. Reservatório de 2l Source Widepac™ Hydration System

Deuter / Source Widepac™ Hydration System

Deuter / Source Widepac™ Hydration System

Já usamos outros reservatórios de água, mas acabaram furando. Um dos melhores que eu já encontrei foi esse da Deuter, que é feito pela Source.

Custa um pouco mais caro, mas água é fundamental durante treinos e provas longas, achei um gasto muito valido.

Com esse reservatório cheio e as duas garrafas, eu carreguei quase 4l de água na minha Mochila. Muito importante!

Durante o Cruce, vimos dois amigos abandonarem os reservatórios porque furaram ou estavam vazando e molhando tudo dentro da mochila.

Eles tem outros tamanhos, 1,5l, 2l e 3l.

8. SOL Emergency Bivvy

SOL Bivac

SOL Bivac

Equipamento obrigatório em quase todas as provas em trilhas. Bivvy, Bivouac, Bivy sac ou Bivaque, um saco de dormir de emergência que permite que uma pessoa permaneça aquecida e fora dos elementos até ser resgatada.

Tem a cor laranja por fora, para mais fácil localização pela equipe de localização.

Bivvy muito leve e pequeno. Espero não precisar usar nunca! 🙂

9. Meias de compressão

Compressão

Compressão

Algumas pessoas acham que meias de compressão não servem para nada. Durante a prova eu usei uma “perneira” (ou polainas) dada como brinde pela Sox, uma empresa Argentina.

Essas perneiras foram muito úteis mais como proteção do que como compressão. Corremos por campos com a vegetação rasteira e cheia de espinhos.

Já as meias pretas, são da Lupo, meias de recuperação, me foram muito úteis. Usei-as todos os dias quando chegava no acampamento. Me ajudam a recuperar as pernas para o dia seguinte.

10. Meias Injinji 2012 Performance Midweight Toe Socks

Injinji

Injinji

O que dizer das Meias Injinji? São as melhores meias que eu já experimentei!

Nunca mais corro nenhuma corrida com outras meias.

Comprei essas em uma promoção pelo site da própria empresa, um pacote com 3 meias quase que pelo preço de um par! Não pude escolher as cores, mas quem se importa se elas vão acabar todas marrons de tanta lama? O importante é que funcionam que é uma beleza!!

Optei por usar as meias rosas, que são um pouco mais altas do que as verdes, bem baixinhas, ficam quase escondidas dentro do tenis. Para correr em trilha, eu descobri que isso não é tão legal, pois acaba entrando pedrinhas e galhos dentro da meia também.

Com as meias Injinji eu posso correr por um longo período com os pés completamente encharcados, sem que nenhuma bolha se forme. Não existe atrito entre os dedos.

Algumas pessoas usam vaselina ou Hipoglos nos pés, eu uso Injinji!

Vale cada centavo!

11. Bermudas de Compressão Flets Triathlon

Bermudas da Flets de Triathlon

Bermudas da Flets de Triathlon

Já uso as bermudas da Flets a alguns anos, elas são de compressão, evitam assaduras e seguram os “documentos” no lugar.

O modelos antigo ainda tinha um bolso enorme na parte de trás, muito útil para guardar os pacotes de Gel, manguitos ou qualquer coisa.

Gosto de correr de shorts de corrida, mas durante as provas, prefiro as bermudas de compressão.

12. Segunda Pele El Cruce

Segunda Pele El Cruce

Segunda Pele El Cruce

Essa segunda pele nos foi dada como brinde no kit do atleta.

Não tem nenhuma marca a não ser o símbolo do El Cruce.

Não me importo nem um pouco, porque essa segunda pele foi fundamental. Foi usada nos três dias de prova, no quarto dia, eu tive que tranca-la dentro da mala, pois ela estava querendo correr sozinha! 😀

Peça importante para proteger do frio. Uma boa segunda pele é fundamental em provas de frio.

13. Fleece Columbia El Cruce

Fleece Columbia El Cruce

Fleece Columbia El Cruce

Mais um brinde do kit do atleta.

Esse fleece foi muito importante, junto com a segunda pele, ele foi usado nos três dias da prova.

O zipper até a metade do peito ajuda quando começa a esquentar.

14. Silver Tape

Silver Tape

Silver Tape

Silver Tape, salvador. Resolve bolhas, calos, tenis furados, mochilas rasgadas e qualquer coisa que esteja perturbando durante a corrida.

Levamos alguns metros enrolado em um isqueiro no Kit de Emergência que eu levo para todas as as corridas.

15. Óculos

Óculos

Óculos

Itens importantes, os óculos escuros são da patroa, os de grau, são meus.

Os óculos ajudam a proteger os olhos durante a corrida nas trilhas.

16. New Balance MT 110

New Balance MT110

New Balance MT110

Para quem gosta de tênis minimalistas, esses tênis são perfeitos! Equilíbrio em termos de proteção e liberdade nas trilhas.

Tem um desnível de 4mm, com proteção Rockstop na parte da frente.

Tênis desenvolvido pela New Balance com a colaboração de ultramaratonistas conhecidos, Anton Krupicka e os irmãos Skaggs, são muito leves (menos de 220g) e maleáveis.

Os 100km de solo vulcânico do El Cruce foram duros, esse par da foto foi usado durante os três dias, a foto abaixo mostra o desgaste da parte vermelha, já era esperado, essa parte é composta somente de EVA. Mas podemos notar que as partes brancas mostram pouco desgaste.

MT 110 gasto

MT 110 gasto

Por último, o item mais importante durante o El Cruce de Los Andes:

17. Jaqueta The North Face Venture Jacket

The North Face Venture

The North Face Venture

Esse foi o melhor artigo comprado com o El Cruce em mente.

Essa jaqueta é muito boa, me atrevo a dizer, ela é perfeita para as condições que encontramos durante a corrida.

É impermeável, mas respirável. Feita com tecnologia HyVent 2.5l, um novo material derivado do óleo de mamona natural do feijão, este revestimento ecológico reduz o uso de componentes da membrana sintética em 50% em comparação aos tradicionais materiais impermeáveis.

Possui dois bolsos com zippers na parte da frente, elásticos e ajustes nos punhos, o capuz tem uma pequena aba, tem ajustes no capuz e na parte de baixo, para que o vento não entre por baixo, zippers embaixo dos dois braços, que podem ser abertos para ajudar na ventilação e transpiração.

A jaqueta toda pode ser guardada dentro do seu próprio bolso, ficando de um tamanho relativamente pequeno. Se ela for dobrada normalmente, acredito que podemos deixá-la menor do que o bolso e é mais rápido dobrar e desdobrar do que botar e tirar do bolso.

Em 2011 essa jaqueta foi escolhida como Escolha do Editor pela revista Backpacker.

O melhor de todos é que compramos essa jaqueta em promoção, então pagamos muito mais barato do que o preço do site! 😀

The North Face Venture HyVent

The North Face Venture HyVent

Com esse casaco, encerro aqui a minha lista de materiais do Cruce.

Usamos outras coisas, durante uma prova de três dias, precisamos de muita coisa.

Esses foram os itens que mais se destacaram durante a prova.

Final do El Cruce de Los Andes

Final do El Cruce de Los Andes