Animais peçonhentos e a corrida

Escrevi esse post para o Corrimundo, mas meu amigo André Caúla foi mais rápido no gatilho e escreveu um post caprichado sobre o mesmo assunto, por isso publico o meu post aqui no meu blog!

Quem não gosta de estar em contato com a natureza? Nós certamente gostamos, já que escolhemos a corrida em trilha como nosso esporte.

Mas quem anda no meio do mato sabe que precisa tomar certos cuidados que nossos amigos do asfalto jamais pensariam. Um grande problema para nós seriam os animais venenosos como cobras, aranhas, escorpiões e etc, além do fato de normalmente estarmos longe de hospitais quando corremos em trilhas.

Cobra Coral

Cobra Coral

Sendo um cara que sempre preza pela segurança do nosso grupo, eu estou escrevendo esse post para clarear um pouco o que fazer em caso de mordida de um animal peçonhento.

Quero alertar que as chances de ser mordido por um bicho venenoso durante uma corrida são muito baixas, normalmente os animais conseguem perceber a presença dos corredores muito antes dos corredores chegarem perto deles. Caso uma cobra esteja no meio da trilha, será pouco provável ela morder, já que não está te esperando, não vai estar pronta para o bote, ela vai tomar um grande susto também. Mas acidentes acontecem.

Mesmo sendo mordido, uma cobra pode injetar pouco veneno ou não injetar veneno nenhum, sendo uma mordida de alerta. A cobra sabe que não somos uma presa e seu veneno é valioso para elas.

Um animal só ataca quando se sente acuado. Portanto se for possível, dê espaço ao animal, não o encurrale e nunca o provoque com galhos ou pedras. Garanto que uma cobra tem muito mais medo da gente do que a gente dela.

Picadas de Cobras:

Cobras venenosas podem ser achadas em todos os continentes, menos na Antártica.

São animais que vivem embaixo de troncos, folhas secas, dentro de troncos, embaixo de pedras e até na copa de árvores, lugares onde podem encontrar suas presas. São animais de sangue frio, portanto precisam se aquecer no sol durante o dia e geralmente caçam a noite.

A maioria das espécies de cobras não são venenosas, essas matam suas presas por constrição.

No Brasil nós temos 61 espécies de cobras peçonhentas de acordo com esse artigo da Wikipedia, dentre essas apenas a Urutu, Jararaca, Jararacuçu, Surucucu e a Coral são encontradas no Rio de Janeiro.

Jararaca

Jararaca

Caso seu encontro com uma cobra ocorra em uma mordida siga os passos abaixo:

1- Proteja a pessoa mordida para que outras mordidas não ocorram. A identificação da espécie de cobra é desejável, mas arriscar levar mais mordidas ou atrasar o tratamento médico ao tentar capturar ou matar a cobra pode trazer conseqüências muito piores.

2- Lavar o local da picada com água e sabão.

3- Mantenha a pessoa calma e em repouso. Se a mordida for no braço ou perna, essas extremidades devem ficar elevadas, mas abaixo do nível do coração, para minimizar o retorno do sangue para o coração e outros órgãos. A reação aguda ao estresse ou estado de choque aceleram os batimentos cardíacos, agitação motora, emoções exacerbadas além de outros sintomas.

4- Levar o acidentado imediatamente ao polo de atendimento mais próximo. É importante que o tratamento seja rápido e realizado por profissionais de saúde qualificados, em unidades de atendimento médico especializadas.

5- Retirar anéis, pulseiras, relógios ou outros adereços apertados, o local da mordida pode inchar.

Jararacuçu

Jararacuçu

O procedimento de primeiros socorros é praticamente o mesmo para qualquer mordida de cobra venenosa. Infelizmente não podemos fazer muita coisa enquanto estamos no meio de lugar nenhum, o melhor que podemos fazer é manter a calma e levar a pessoa mordida para socorro médico o mais rápido possível.

Caso esteja sozinho, siga os procedimentos acima, mantenha a calma e se não for possível conseguir ajuda, siga andando calmamente até um lugar onde possa conseguir ajuda.

O que NÃO fazer em caso de mordida (do site do Instituto Vital Brasil):

1- Não amarrar ou fazer torniquetes ou garrotes. O garrote impede a circulação do sangue, o que piora a situação.

2- Não colocar folhas, pó de café, fezes ou quaisquer outras substâncias no local da picada, pois podem provocar infecção.

3- Não fazer cortes no local da picada, pois, somados aos efeitos do veneno, podem induzir hemorragias e infecções.

4- Não ingerir bebida alcoólica.

5- Não mate a cobra, elas tem seu lugar na natureza.

Existem outras “curas milagrosas” que NÃO devem ser feitas, como colocar gelo, tentar sugar o veneno e etc.

Surucucu

Surucucu

 

Picadas de Aranhas:

As aranhas são animais artrópodes, geralmente confundidos com insetos. Existem cerca de 40.000 espécies de aranhas no mundo. Mas no Brasil só temos três que são realmente perigosas para o homem.

Essas são:

Viúva Negra

Viúva Negra

Viúva-negra – Aranha pequena e bem tímida costuma ficar em ambientes escuros e frescos e vivem em sua teia. São mais encontradas em regiões de restinga. Portanto a chance de encontrarmos uma durante uma corrida em trilhas é bem baixa.

Armadeira

Armadeira

Armadeira – Não vivem em teias, costumam se esconder em buracos no chão, embaixo de madeira e pedras, entre folhas largas como folhas de bananeiras. Acidentes normalmente ocorrem no início da noite ou nas primeiras horas da manhã. São aranhas agressivas quando perturbadas, podendo picar varias vezes. Tem hábitos noturnos.

Aranha Marrom

Aranha Marrom

Aranha Marrom – Não passando de 4 cm de envergadura, a aranha marrom vive em ambientes escuros e secos onde tecem suas teias. Sob cascas de arvores, debaixo de pedras e dentro de grutas. São de hábitos noturnos.

Caranguejeira

Caranguejeira

Tarântulas e Caranguejeiras – Apesar do tamanho e aspecto sinistro, essas aranhas não são perigosas para o homem. Também são noturnas.

A maioria dos acidentes com aranhas acontecem quando elas se escondem no meio das roupas ou dentro dos sapatos, elas picam ao serem comprimidas contra o corpo.

 

Picadas de Escorpiões:

Os escorpiões são animais de hábitos noturnos, vivem em lugares escuros e úmidos, como troncos, embaixo de pedras e etc. No Rio, uma das espécies que encontramos é o escorpião amarelo, que é considerado o mais venenoso da América do Sul.

Escorpião

Escorpião

Quando perturbados, eles picam com facilidade, causando muita dor e podendo provocar a morte em crianças e pessoas debilitadas. Qualquer acidente com escorpião deve ser avaliado por um médico.

Mas não apresentam muito perigo aos corredores de trilha. Já que não temos o habito de ir correndo de tronco em tronco enfiando a mão em todo o buraco ou embaixo de pedras… certo?

 

Picada de Lacraia (Centopéia):

A Lacraia é um animal de hábitos noturnos, como algumas aranhas e escorpiões, vivem em lugares escuros como buracos no chão, embaixo de troncos e pedras.

Seu veneno não é muito pouco tóxico ao homem. Em acidentes com lacraias ocorrem dor forte e inchaço no local da picada.

Lacraia

Lacraia

 

Conclusão:

Como vimos, os animais peçonhentos listados normalmente tem hábitos noturnos, gostam de lugares úmido e quentes. Tenham atenção com troncos no meio da trilha, pedras e montes de folhas.

O maior perigo para nós corredores são as cobras, mas se lembramos que aquele é o ambiente natural delas e mantivermos o respeito, não teremos problemas.

Se sacudirmos nossas roupas e batermos nossos tênis antes de nos vestir, não teremos problemas com os aracnídeos.

Nenhum desses animais está à espreita do próximo corredor.

Se nós não perturbarmos os animais, conseguiremos seguir nossas corridas com nada mais do que um susto e alguns batimentos cardíacos a cima do normal.

Como escrevi anteriormente, caso ocorra um acidente, não mate o animal, pois também é uma vida e ele tem seu lugar na natureza.

Links importantes:

Rede de polos de atendimento – http://www.ivb.rj.gov.br/polos.html

Instituto Butantan – http://www.butantan.gov.br/primeiros_socorros.php

Referências:

http://www.vitalbrazil.rj.gov.br/primeiros_socorros.html

http://www.vitalbrazil.rj.gov.br/cobras_venenosas.html

http://www.vitalbrazil.rj.gov.br/aranhas.html

http://www.vitalbrazil.rj.gov.br/escorpioes.html

http://www.vitalbrazil.rj.gov.br/lacraias.html

http://www.butantan.gov.br/primeiros_socorros.php

http://en.wikipedia.org/wiki/Snakebite

http://pt.wikipedia.org/wiki/Serpente

http://pt.wikipedia.org/wiki/Anexo:Lista_de_cobras_pe%C3%A7onhentas_do_Brasil

http://pt.wikipedia.org/wiki/Rea%C3%A7%C3%A3o_aguda_ao_estresse

http://www.cobrasbrasileiras.com.br/

http://www.abc.med.br/p/299395/picada+de+cobra+e+agora+o+que+fazer.htm

http://www.runnersworld.com/trail-running-training/snakes

http://blog.runningwarehouse.com/running-sport/runner-vs-nature-how-to-deal-with-snakes-while-running/

Anúncios

Seja gentil.

Não consigo entender porque as pessoas estão tão agressivas… Podemos ver em todos os lugares, no transito, no mercado, nas ruas e etc. Eu me incluo nesse grupo de agressivos, constantemente preciso lutar contra essa agressividade.

Nós não sabemos a história das outras pessoas, às vezes elas podem estar passando por uma fase difícil, podem ter alguém próximo dando seus últimos suspiros de vida, podem estar doentes ou até passando por dificuldades financeiras.

Vejo pessoas no transito brigando por centímetros, quando no final das contas, elas não chegarão antes nos seus destinos. Motoristas de ônibus esquecem que também pegam ônibus na hora de voltar para casa, taxistas que reclamam da bagunça do transito, mas cruzam 4 pistas sem dar qualquer sinal só para tentar pegar um passageiro, mães e pais que não se importam em parar completamente uma rua principal só para deixar seus filhos exatamente na porta do colégio.

Hoje o egoísmo está em alta, todos querem ser “o primeiro”, todo mundo quer “se dar bem”, independente se precisarão passar por cima das pessoas que estão em volta. Seja no trabalho, na fila do mercado ou na vida, podemos ver esse tipo de atitude em todos os lugares…

Parece que esquecemos que no final da vida, todos voltarão para a terra. Somos todos iguais.

Sugiro um exercício:

Sejam gentis com vocês mesmo, comece pelo seu prato de comida…
Pensem sobre as suas atitudes e palavras.

vdsy5ut0

Melhor Bolo de Laranja Vegan que eu já vi!

Eu sempre falo que cozinhar é fácil, só precisa de um pouco de curiosidade e carinho. Mas fazer doces não é cozinhar, é CIÊNCIA! Tem que ser tudo medido exatamente, ou seu bolo irá solar ou alguma coisa bizarra acontecerá.

Descobri essa receita no site Vai Comer o Que.net. A receita é muito boa, Francielle fez um video bem legal explicando passo a passo como ela prepara o bolo.

Eu tenho uma crítica que acredito que melhora a receita criada por ela. Ao invés de usar uma laranja inteira no bolo, eu descasquei a laranja (cortei em 4 e separei a casca e parte branca da poupa com a mão mesmo), tirei o miolo branco e os caroços. A primeira vez que eu fiz esse bolo, exatamente como a receita, foi um sucesso, mas ficou um gosto amargo muito leve no final. Na segunda versão, com a laranja descascada me pareceu melhor, não notei nenhum gosto amargo.

A minha mulher adorou as duas receitas… mas também posso quase dizer que casei com a Princesa Fiona! hahaha! Eu amo minha Ogrinha!

 

Segue a receita da Francielle:

1 laranja cortada em cubos sem as sementes e sem a parte branca (como chama mesmo?)

1/2 xícara de suco de laranja espremido (2 a 3 laranjas)

3/4 de xícara de óleo

1 xícara de açúcar

2 xícaras de farinha de trigo

1 colher de sopa de fermento em pó

Pitada de sal

Para a calda:

1 xícara de suco de laranja

3/4 de xícara de açúcar

1 colher de sopa de amido de milho ou farinha de trigo diluída

 

Modo de preparo:

Bater tudo no liquidificador, menos a farinha de trigo e o fermento.

Em uma tigela grande misturo a farinha com o fermento só então os outros ingredientes que batemos no liquidificador.

Unto uma forma com um pingo de óleo e farinha de trigo e vai para o forno no numero 3, a hora que começa a perfumar a casa, eu vou dar uma olhada.

A calda:

A calda é bem fácil, só precisa dissolver o amido ou farinha de trigo no suco de laranja antes de ir ao fogo, e ir mexendo até ficar com cara de calda de bolo (não de mingau!), cuidado para não engrossar demais, porque quando esfriar ela vai ficar mais firme.

Eu até sei que não fica bonito, mas gosto de fazer vários furinhos no bolo e jogar a calda por cima, assim a calda entra no bolo, deixando o bolo mais gostoso ainda!

 

Bjs e abraços veganos!

obs: Eu ainda não consegui uma boa receita de bolo sem óleo…