Animais peçonhentos e a corrida

Escrevi esse post para o Corrimundo, mas meu amigo André Caúla foi mais rápido no gatilho e escreveu um post caprichado sobre o mesmo assunto, por isso publico o meu post aqui no meu blog!

Quem não gosta de estar em contato com a natureza? Nós certamente gostamos, já que escolhemos a corrida em trilha como nosso esporte.

Mas quem anda no meio do mato sabe que precisa tomar certos cuidados que nossos amigos do asfalto jamais pensariam. Um grande problema para nós seriam os animais venenosos como cobras, aranhas, escorpiões e etc, além do fato de normalmente estarmos longe de hospitais quando corremos em trilhas.

Cobra Coral

Cobra Coral

Sendo um cara que sempre preza pela segurança do nosso grupo, eu estou escrevendo esse post para clarear um pouco o que fazer em caso de mordida de um animal peçonhento.

Quero alertar que as chances de ser mordido por um bicho venenoso durante uma corrida são muito baixas, normalmente os animais conseguem perceber a presença dos corredores muito antes dos corredores chegarem perto deles. Caso uma cobra esteja no meio da trilha, será pouco provável ela morder, já que não está te esperando, não vai estar pronta para o bote, ela vai tomar um grande susto também. Mas acidentes acontecem.

Mesmo sendo mordido, uma cobra pode injetar pouco veneno ou não injetar veneno nenhum, sendo uma mordida de alerta. A cobra sabe que não somos uma presa e seu veneno é valioso para elas.

Um animal só ataca quando se sente acuado. Portanto se for possível, dê espaço ao animal, não o encurrale e nunca o provoque com galhos ou pedras. Garanto que uma cobra tem muito mais medo da gente do que a gente dela.

Picadas de Cobras:

Cobras venenosas podem ser achadas em todos os continentes, menos na Antártica.

São animais que vivem embaixo de troncos, folhas secas, dentro de troncos, embaixo de pedras e até na copa de árvores, lugares onde podem encontrar suas presas. São animais de sangue frio, portanto precisam se aquecer no sol durante o dia e geralmente caçam a noite.

A maioria das espécies de cobras não são venenosas, essas matam suas presas por constrição.

No Brasil nós temos 61 espécies de cobras peçonhentas de acordo com esse artigo da Wikipedia, dentre essas apenas a Urutu, Jararaca, Jararacuçu, Surucucu e a Coral são encontradas no Rio de Janeiro.

Jararaca

Jararaca

Caso seu encontro com uma cobra ocorra em uma mordida siga os passos abaixo:

1- Proteja a pessoa mordida para que outras mordidas não ocorram. A identificação da espécie de cobra é desejável, mas arriscar levar mais mordidas ou atrasar o tratamento médico ao tentar capturar ou matar a cobra pode trazer conseqüências muito piores.

2- Lavar o local da picada com água e sabão.

3- Mantenha a pessoa calma e em repouso. Se a mordida for no braço ou perna, essas extremidades devem ficar elevadas, mas abaixo do nível do coração, para minimizar o retorno do sangue para o coração e outros órgãos. A reação aguda ao estresse ou estado de choque aceleram os batimentos cardíacos, agitação motora, emoções exacerbadas além de outros sintomas.

4- Levar o acidentado imediatamente ao polo de atendimento mais próximo. É importante que o tratamento seja rápido e realizado por profissionais de saúde qualificados, em unidades de atendimento médico especializadas.

5- Retirar anéis, pulseiras, relógios ou outros adereços apertados, o local da mordida pode inchar.

Jararacuçu

Jararacuçu

O procedimento de primeiros socorros é praticamente o mesmo para qualquer mordida de cobra venenosa. Infelizmente não podemos fazer muita coisa enquanto estamos no meio de lugar nenhum, o melhor que podemos fazer é manter a calma e levar a pessoa mordida para socorro médico o mais rápido possível.

Caso esteja sozinho, siga os procedimentos acima, mantenha a calma e se não for possível conseguir ajuda, siga andando calmamente até um lugar onde possa conseguir ajuda.

O que NÃO fazer em caso de mordida (do site do Instituto Vital Brasil):

1- Não amarrar ou fazer torniquetes ou garrotes. O garrote impede a circulação do sangue, o que piora a situação.

2- Não colocar folhas, pó de café, fezes ou quaisquer outras substâncias no local da picada, pois podem provocar infecção.

3- Não fazer cortes no local da picada, pois, somados aos efeitos do veneno, podem induzir hemorragias e infecções.

4- Não ingerir bebida alcoólica.

5- Não mate a cobra, elas tem seu lugar na natureza.

Existem outras “curas milagrosas” que NÃO devem ser feitas, como colocar gelo, tentar sugar o veneno e etc.

Surucucu

Surucucu

 

Picadas de Aranhas:

As aranhas são animais artrópodes, geralmente confundidos com insetos. Existem cerca de 40.000 espécies de aranhas no mundo. Mas no Brasil só temos três que são realmente perigosas para o homem.

Essas são:

Viúva Negra

Viúva Negra

Viúva-negra – Aranha pequena e bem tímida costuma ficar em ambientes escuros e frescos e vivem em sua teia. São mais encontradas em regiões de restinga. Portanto a chance de encontrarmos uma durante uma corrida em trilhas é bem baixa.

Armadeira

Armadeira

Armadeira – Não vivem em teias, costumam se esconder em buracos no chão, embaixo de madeira e pedras, entre folhas largas como folhas de bananeiras. Acidentes normalmente ocorrem no início da noite ou nas primeiras horas da manhã. São aranhas agressivas quando perturbadas, podendo picar varias vezes. Tem hábitos noturnos.

Aranha Marrom

Aranha Marrom

Aranha Marrom – Não passando de 4 cm de envergadura, a aranha marrom vive em ambientes escuros e secos onde tecem suas teias. Sob cascas de arvores, debaixo de pedras e dentro de grutas. São de hábitos noturnos.

Caranguejeira

Caranguejeira

Tarântulas e Caranguejeiras – Apesar do tamanho e aspecto sinistro, essas aranhas não são perigosas para o homem. Também são noturnas.

A maioria dos acidentes com aranhas acontecem quando elas se escondem no meio das roupas ou dentro dos sapatos, elas picam ao serem comprimidas contra o corpo.

 

Picadas de Escorpiões:

Os escorpiões são animais de hábitos noturnos, vivem em lugares escuros e úmidos, como troncos, embaixo de pedras e etc. No Rio, uma das espécies que encontramos é o escorpião amarelo, que é considerado o mais venenoso da América do Sul.

Escorpião

Escorpião

Quando perturbados, eles picam com facilidade, causando muita dor e podendo provocar a morte em crianças e pessoas debilitadas. Qualquer acidente com escorpião deve ser avaliado por um médico.

Mas não apresentam muito perigo aos corredores de trilha. Já que não temos o habito de ir correndo de tronco em tronco enfiando a mão em todo o buraco ou embaixo de pedras… certo?

 

Picada de Lacraia (Centopéia):

A Lacraia é um animal de hábitos noturnos, como algumas aranhas e escorpiões, vivem em lugares escuros como buracos no chão, embaixo de troncos e pedras.

Seu veneno não é muito pouco tóxico ao homem. Em acidentes com lacraias ocorrem dor forte e inchaço no local da picada.

Lacraia

Lacraia

 

Conclusão:

Como vimos, os animais peçonhentos listados normalmente tem hábitos noturnos, gostam de lugares úmido e quentes. Tenham atenção com troncos no meio da trilha, pedras e montes de folhas.

O maior perigo para nós corredores são as cobras, mas se lembramos que aquele é o ambiente natural delas e mantivermos o respeito, não teremos problemas.

Se sacudirmos nossas roupas e batermos nossos tênis antes de nos vestir, não teremos problemas com os aracnídeos.

Nenhum desses animais está à espreita do próximo corredor.

Se nós não perturbarmos os animais, conseguiremos seguir nossas corridas com nada mais do que um susto e alguns batimentos cardíacos a cima do normal.

Como escrevi anteriormente, caso ocorra um acidente, não mate o animal, pois também é uma vida e ele tem seu lugar na natureza.

Links importantes:

Rede de polos de atendimento – http://www.ivb.rj.gov.br/polos.html

Instituto Butantan – http://www.butantan.gov.br/primeiros_socorros.php

Referências:

http://www.vitalbrazil.rj.gov.br/primeiros_socorros.html

http://www.vitalbrazil.rj.gov.br/cobras_venenosas.html

http://www.vitalbrazil.rj.gov.br/aranhas.html

http://www.vitalbrazil.rj.gov.br/escorpioes.html

http://www.vitalbrazil.rj.gov.br/lacraias.html

http://www.butantan.gov.br/primeiros_socorros.php

http://en.wikipedia.org/wiki/Snakebite

http://pt.wikipedia.org/wiki/Serpente

http://pt.wikipedia.org/wiki/Anexo:Lista_de_cobras_pe%C3%A7onhentas_do_Brasil

http://pt.wikipedia.org/wiki/Rea%C3%A7%C3%A3o_aguda_ao_estresse

http://www.cobrasbrasileiras.com.br/

http://www.abc.med.br/p/299395/picada+de+cobra+e+agora+o+que+fazer.htm

http://www.runnersworld.com/trail-running-training/snakes

http://blog.runningwarehouse.com/running-sport/runner-vs-nature-how-to-deal-with-snakes-while-running/

Anúncios

Treino Intervalado – Garmin Connect

Aviso: Esse é um dos grandes, você vai precisar de um tempo para ler e entender esse post. Mas depois disso tudo, você estará um passo mais próximo de se tornar iluminado!

Vários amigos me fazem perguntas sobre o funcionamento dos relógios da Garmin.

Em nosso grupo de treino, várias pessoas tem esse brinquedinho, mas infelizmente, a maioria não sabe usar nem metade do que o relógio oferece como uma ferramenta de treino.

Hoje vou mostrar passo a passo como montarmos um treino intervalado. Não importa a complexidade do seu treino, com esse post, mostro a vocês como preparar qualquer treino no site da Garmin.

Garmin ANT Agent

Garmin ANT Agent

Antes de começarmos, tenha certeza de que o Garmin ANT Agent está instalado. É aquele ícone do “Mickey” cinza na barra, perto do relógio.

Frequentemente nosso treinador nos passa algum treino intervalado. Hoje eu inventei o treino abaixo como um exemplo.

 

Treino Intervalado:

  • 5 min de aquecimento
  • 4x 500m @ 5:20 / 200m trote
  • 2km @ 5:30
  • 4x 300m @ 5:10 / 200m trote
  • Cool down (essa parte é só para marcar o final do treino, para que o relógio marque até a hora que eu parar de correr)

 

Lembrar disso tudo durante a corrida é meio complicado, ainda mais quando está faltando oxigênio para o cérebro funcionar corretamente! 😉

 

Ok, vamos começar. Abra seu navegador preferido, e vá para o endereço: http://connect.garmin.com/dashboard

Se você não tem login, então crie um clicando em “Sign In”, depois em “Don’t have an account? Create One”. Caso contrário, o site te fará baixar o ANT Agent novo (que é uma porcaria, o programa antigo e que funciona melhor).

Com a sua conta criada, vamos ao nosso treino intervalado.

Passe o mouse por cima de Plan e clique em Workouts. Isso nos levará para a página aonde montaremos nosso treino:

Garmin Connect

Garmin Connect

 

Essa tela é bem mastigada, mas mesmo assim, vou explicar cada campo, para ficar mais fácil ainda:

No campo “Untitled”, colocaremos um nome para nosso treino.

Workout Type, escolheremos o Running, mas podemos criar um intervalado para bicicleta, natação ou outros.

Clique em “Add Step” para criarmos o primeiro passo no nosso treino:

Workout 0

Aqui nós temos todas as opções de combinações que podem ser montadas. Temos muitas opções, podemos montar treinos simples até treinos muito complexos, só depende do seu objetivo.

Workout 1

Vamos criar um “Warm Up”, já que a nosso treino começa com um aquecimento de 5min.

No campo “Duration”, selecionei “Time” e digitei 5:00 (5 minutos e 0 segundos).

Em “Target”, deixei sem objetivo, já que é um aquecimento, não vamos nos matar ainda, ne?

Quando terminar de montar cada passo, não esqueça de clicar em “Done”.

Workout 2

Agora vamos adicionar a parte do intervalado.

Clique em “Add Repeat”, escolha a quantidade de vezes que o intervalado será repetido. No nosso caso 4 vezes.

Não esqueça do “Done”!

Agora clique em “Add a step”, dentro do nosso intervalado.

Workout 3

Workout 4

Clique no lápis amarelinho do lado direito, esse é o nosso botão de editar o passo.

Nessa parte, escolheremos o tipo “Interval”.

Selecione “Distance” e complete a distancia do intervalo, 500m ou 0,5km.

No campo “Target” selecione “Pace” e complete a velocidade.

O GPS é uma ferramenta militar. O sinal de GPS disponibilizado para o público geral, ou melhor para os civis, tem uma variação de alguns metros, portanto não é exato. Gosto de deixar um intervalo de 0:10 min/km, além do erro do GPS, é difícil manter exatamente a mesma velocidade durante um tiro.

Nossa velocidade no treino é 5:20 min/km, portanto eu digitei o “Pace” entre 5:15 e 5:25. Se seu relógio falar que você está dentro da zona desejada, está perfeito! Terminou? “Done”!

Workout 5

Agora vamos à recuperação do tiro.

Essa parte não tem muito o que cutucar. Adicione um “Step” novo.

Repare que esse novo passo estará fora do nosso quadrinho de intervalado. Nós vamos ter que movê-lo para dentro do intervalado mais tarde.

Selecione “Recovery”, a distância ou tempo e termine com o “Done”.

Workout 6

Agora vem a parte meio chata que é mover a nossa Recuperação para dentro do intervalado. O site facilita em muita coisa, mas precisa de um pouco de malandragem para achar o lugar certinho.

Clique e segure o mouse nas listrinhas do lado esquerdo, arraste para dentro do nosso intervalado e solte.

Workout 7

Maravilha!! Já temos um treino intervalado bem básico montado!

Mas vamos continuar montando o treino sugerido.

O próximo passo é uma corrida contínua de 2km @ 5:30 (entre 5:25 e 5:35).

Adicione outro “Step”.

Selecionei “Interval”, “Distance” e “Pace”.

Esse passo não será repetido, portanto ele deve ficar fora do campo do intervalado. “Done”.

Workout 8

Agora vamos ao segundo tiro do treino!

Clique em “Add Repeat”, podemos adicionar quantos passos ou repetições forem necessárias!

Seguiremos os mesmos passos do primeiro tiro.

Escolha a quantidade de vezes que o intervalado será repetido, no nosso caso serão 4x 300m @ 5:10 (entre 5:05 e 5:15) com 200m de trote ou recuperação.

Adiantei-me e criei um último passo que será o “Cool Down”, sem características específicas.  É só um trote para terminar o treino.

Gosto de fazer isso para que o relógio continue gravando o treino até eu parar de correr. Já que o treino pode parar a alguns metros do lugar inicial. O que você vai fazer? Parar e ir andando? Eu continuo trotando até chegar no final.

“Done”.

Ainda tem um campo onde podemos adicionar alguma nota ao treino. Acredito que essa anotação não passará para o relógio, deve ser só para o site mesmo.

Workout 9

Caso tenha criado um passo a mais ou um passo errado, podemos editar clicando no lápis amarelo ou deletá-lo clicando no “Xzinho” vermelho do lado direito do campo.

Nosso treino está muito bonito e colorido. Mas como passamos esse negócio para o relógio?

Primeiro clique em “Save”.

Depois em “Send to Device”.

Workout 010

Aqui em casa somos dois corredores, a Patroa e eu, cada um tem seu relógio, portanto selecione o relógio desejado.

Workout 011

Beleza!

Treino enviado com sucesso!

Workout 012

Agora sim, aonde foi parar aquele relógio laranja feio?

Tá na hora de ligá-lo, já que o treino foi enviado do navegador para o Garmin ANT Agent, ou melhor para o “Mickey”.

Em poucos segundos o computador deveria se comunicar com o relógio e passar o treino. Esse processo é bem mais rápido do que passar o treino para o Garmin Connect.

Garmin ANT Agent 2

Quando passar, deverá aparecer a mensagem abaixo:

Garmin ANT Agent 3

Agora sim!

Terminamos!

Vai lá correr!!

Para selecionar nosso treino bonito no seu Garmin mais bonito ainda, basta entrar no Menu, selecione Training – Workouts – Custom, nosso treino “Intervalado” vai aparecer nessa telinha, selecione-o e aperte o botão “Enter” no seu relógio, “Do Workout”.

Aperte o botão “Start” para iniciar seu treino!

Bom treino intervalado!

 

Downloads:

Garmin ANT Agent para Windows – http://www8.garmin.com/support/download_details.jsp?id=3741

Garmin ANT Agent para Mac – http://www8.garmin.com/support/download_details.jsp?id=4417